top of page

Mais de 2000% são os prejuizos que as Multinacionais do lixo amargam




Empresas multinacionais do ramo de aterros sanitários e exploração de gaz instaladas no Brasil, amargam prejuízos superiores a 2.000% e em breve terão que migrar para tecnologias mais lucrativas ou encerrar suas atividades.


O Grupo INER vem implantando em todo território nacional, o projeto "Lixo zero social 10", que dividiu o Brasil em regiões com capacidade de implantação de um sistema de usinas altamente lucrativo. Temos uma viabilidade econômica que dá provas do retorno do capital investido em média de 3 a 5 anos, além de que contamos com a possibilidade de financiamento de 100% com 12 anos para o pagamento, além de 3 anos de carência.



Está mais do que provado que para explorar gaz através de aterros sanitários, necessário se e faz estocar lixo, vez que a produção é feita por bactérias e estas tem um ciclo de 45 (quarenta e cinco) dias após o que entram em declínio.



O passivo gerado pelos aterros desativados responsabilizam os proprietários em 35 (trinta e cinco) anos pela manutenção da área contaminada o que ao nosso ver, transfere para filhos e netos uma responsabilidade impagável, além dos prejuízos que já estão suportando hoje no dia a dia.


Este negócio só e mantido através de contratos municipais "superfaturados" que está ficando a cada dia mais difícil politicamente de serem mantidos e dúvidas sobre o que estamos aqui afirmando poderão ser tiradas em uma simples pesquisa nos escândalos e processos criminais que diariamente são divulgados pela mídia.


Nosso modelo de negócio envolve a criação de consórcios municipais específicos para destinação do lixo e já estamos em negociação com a Confederação Nacional dos Municípios para que os mesmos sejam oficialmente criados.




102 visualizações0 comentário
bottom of page